Adote Biblioteca

A Livraria Cultura em parceria com a Poiesis – Organização Social de Cultura, lançou um projeto que pode ser útil às escolas  públicas do todo o país. Trata-se do Adote Biblioteca. Através do site da Livraria Cultura, você seleciona a cidade ou a escola para a qual deseja doar um livro e a livraria entrega o exemplar e ainda promete reverter parte do valor total doado em mais exemplares para as bibliotecas adotadas. Não deixa de parecer  um bom negócio para a livraria e para as bibliotecas. Se puder, colabore. Ou inspire-se na iniciativa e vasculhe nas suas prateleiras aqueles livros que não quer mais e doe às bibliotecas de sua cidade. Isso pode ajudar a formar e abastecer muitos leitores nesse mundão afora.

Livraria Cultura: http://www.livrariacultura.com.br

Prêmio Sesc de Literatura 2009

Todo novo autor sabe como é duro e longo o caminho para publicar um livro no Brasil. Uma alternativa pode ser participar de concursos literários. O Prêmio Sesc de Literatura é um bom concurso para os principiantes arriscarem a sorte porque parte do prêmio é a publicação e a distribuição da primeira edição da obra pela Editora Record, com direito a 10% do valor da capa na comercialização em livrarias. Podem ser inscritos textos inéditos – conto ou romance – até o dia 30 de setembro. Leia edital no site do Sesc – http:// www.sesc.com.br

Concurso para quem é de poesia

Poesia empoeirada na gaveta ou perdida no computador não tem valor de poesia. Então chegou a hora de sacar seus poemas e inscrevê-los no II Prêmio Literário Canon de Poesia 2009. O concurso é promovido pela Canon do Brasil, Fábrica de Livros e Grupo Editorial Scortecci e está aberto a autores brasileiros maiores de 16 anos residentes no Brasil. A poesia não precisa ser inédita. Quem nunca publicou também pode e deve participar. As inscrições serão aceitas até o dia 15 de setembro através do site: http://www.concursosliterarios.com.br

Joanna d’Arc, de Mark Twain

capa joanna darc

Joanna d’Arc, de Mark Twain (Ed. Record), é gostoso de ler. Sentimentos e história juntos em perfeita harmonia. Após a leitura, não há como não querer conhecer os lugares por onde a Pucela passou; solo austero, aristocrático e tão francês, onde nem toda empáfia dos homens da Inquisição conseguiu apagar seus passos, onde nem toda fúria da revolução burguesa pôde eliminar os vestígios da “libertadora da França” que viveu e lutou para defender um rei ingrato, onde até hoje vive a lembrança da Donzela de Vaucouleurs. Vale cada página!