Banco de personagens: Eduardo tinha tanto para dizer

Não conseguia, não dava mesmo, não tinha jeito e não encontrava a menor palavra que fosse, e tinha tanto para dizer. Eduardo estava sofrendo sinceramente com aquele tormento, se bem que era um sofrimento recolhido, desses que ninguém fica sabendo. Não sei se isso ameniza ou agrava o sofrer. Era descabido o caso de Eduardo porque ele era teimoso, só servia dizer o que ele precisava se encontrasse os vocábulos perfeitos. Nenhum servia. Estava virando uma constante, todo dia na mesma hora, quando a moça da bolsa cor de rosa passava, pronto, punha-se a suar pelas mãos o coitado.

Danielle A. Giannini

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s