2012, um ano novinho em folha

Já começou o ano novo. Agora ele tem 365 páginas em branco para completarmos com as palavras que quisermos. E quanta escolha nós temos! São tantas palavras, tantas palavras, que qualquer uma delas pode ter efeitos inimagináveis. Se não medirmos bem nossas palavras, podemos magoar, irritar, intimidar, maltratar e tudo isso de mau. Se desejarmos, nossas palavras podem alegrar, apaziguar, acalentar, incentivar, orientar, acalmar e tudo isso de bom.  Tá vendo, as palavras estão todas aí à nossa disposição, e agora que o ano começou, e começou novo, só resta escolher bem cada palavra que vamos usar. Se com nossas palavras conseguirmos transformar alguém para melhor, ou antes, se conseguirmos nos melhorar, então além de novo, o ano será muito feliz. Mãos à obra! Ótimo ano a todos, ops, um ano maravilhoso a todos!

Danielle A. Giannini

Nem mais, nem menos

Acabou o ano, praticamente. Quem leu, leu; quem não leu … vai ler no ano que vem, vai também começar uma dieta e matricular-se na academia. Quem gosta de livro simplesmente pega um e lê. Quem gosta de academia vai lá e malha. A dieta já parece mais complicada! Dieta de boas palavras, boa literatura, bons livros é que não pode ter no ano que vem. Nosso país tem já tantos defeitos, uns até de fabricação, então não vamos perder também no quesito leitura. Vamos ver os livros, folhear, ler, pensar, ter ideias produtivas e boas (e bondosas!), para fazermos do ano novo um ano melhor!

Salut!