Palavras sobre palavras

O que tanto cabe nos livros, nas revistas, nos gibis? O que tanto cabe no alfabeto? Quantas palavras desfilam pelos nossos olhos diariamente? Palavras, sempre as palavras, emaranhado de letras e sons, dotadas de significado ou não. Sim, o significado é por nossa conta, pois as palavras existem apesar de nós, de nosso olhar, dos livros, revistas e gibis. Mas que fazer se somos nós que damos legitimidade a cada uma delas! Um dia abri um dicionário e vi tantas palavras pregadas naquelas folhas fininhas, que me desesperei, e se caíssem todas daquele substrato tão frágil? Com o tempo percebi que a maioria daquelas palavras já tinha caído, só restava ali o espectro delas, ou o esqueleto, não distingui bem. Previ que outras cairiam, e seria assim para sempre, culpa de nós descuidados que não seguramos as palavras no lugar delas. A surpresa foi ver outras palavras chegando, umas meio esquisitas, outras desengonçadas, umas inúteis, outras até engraçadinhas, de todos os tipos e para todas as idades. Melhor assim, garantia de que o estoque de palavras não vai acabar. Que sorte que podemos pegá-las a qualquer momento para colocar nos livros, revistas e gibis! Já pensou que desespero sair às ruas de manhã e não ver nenhuma palavra, mundo mudo?