Banco de personagens: Livia e seu pacote

O pacote era leve, leve e importante. Livia carregava aquilo como se fosse a única coisa que interessasse na vida. E era. O que mais podia valer tanto? Era seu regozijo. Chegando em casa, aparentemente sem pressa, mas desejosa de abrir o saquinho de papelão, pendurou a bolsa na cadeira da sala, tirou os sapatos, calçou uma sapatilha confortável, lavou as mãos, puxou a cadeira da cozinha e respirou fundo, olhos fechados, sentiu o aroma. Tirou do pacote uma caixinha branca com lacinho de cetim dourado, desamarrou a fita e apreciou demoradamente os macarrons coloridos. Eram quatro. Comeu todos eles, um a um, e foi se deitar. Dormiu bem naquela noite.

Danielle A. Giannini