Concurso literário e analfabetismo

Um incentivo a mais para quem acaba de se inserir no mundo das palavras, o concurso Literatura para Todos. Destinado aos que o Ministério da Educação classifica como “neoleitores”, o concurso tem a incumbência de democratizar o acesso à leitura, constituir um acervo bibliográfico literário específico para jovens, adultos e idosos recém alfabetizados e criar uma comunidade de leitores. Podem participar jovens, adultos e idosos em processo de alfabetização pelo Programa Brasil Alfabetizado e matriculados nas turmas de educação de jovens e adultos das redes públicas de ensino, além de estudantes dos países lusófonos da África. As categorias são: prosa (conto, novela ou crônica), poesia, texto de tradição oral (em prosa ou em verso) e perfil biográfico e dramaturgia. Os vencedores receberão prêmios no valor de R$ 10 mil. No ano passado, foram inscritos 729 trabalhos. Então mãos à obra e que este número cresça, para mostrar que a realidade do Brasil pode ser muito diferente, com mais leitores e autores e, consequentemente, cabeças pensantes. Que sirva de incentivo aos que ainda não se aventuraram a descobrir o poder da escrita, e estes são muitos por aqui, mais de 14 milhões, e pior, o Brasil é um dos campeões em analfabetismo na América Latica, uma posição vergonhosa, que coloca à prova os eventuais esforços dos governos municpais, estaduais e federal. Que este concurso sirva para alavancar outras medidas realmente eficazes no combate ao analbatebismo que só faz perpetuar as diferenças sociais no país.