Quem tem medo do lobo mau?

 

O lobo mau anda por aí se arrastando pesado pelas nossas ruas e quer atacar todo mundo. Pelo menos todo mundo que está dando importância para ele. Por motivos pessoais que não vêm ao caso e por razões profissionais, preciso notar que ele existe, tem pernas, caminha livremente sem o menor pudor, esbarrando em quem vier em sua direção. Tenho ficado escondida atrás de árvores, postes, às vezes me disfarço de transeunte, tudo para olhar para ele e saber o que pensa, afinal, de nós mortais que somos a vovozinha prestes a ser devorada pelo monstro. O lobo mau tem nome e atende por Reforma Ortográfica . Sua aparição não agradou nem gregos nem troianos, nem brasileiros, nem portugueses, nem africanos, creio que só editores e livreiros acariciam o bicho. Fato é que ele anda assustando muita gente que quer andar na linha e não fazer feio com as palavras, e eu tenho ido junto, de carona, tentando esforçar-me ao máximo para achar natural uma palavra “destremada” – lobo faminto, perdoe-me o neologismo. Estou prestes a ser devorada pela criatura de olhos esbugalhados nos hífens que não sabemos mais usar e nos acentos que fazem falta, sim, senhor. Eu tenho medo do lobo mau às vezes, no escuro, quando estou desprevenida; queria mesmo que ele se fosse, descabido, para não voltar a nos atormentar mais. Os irmãos portugueses bem que estão a tentar, tomara!

Anúncios